Por Neila Garcia

O Oeste do Pará, região do Baixo Tapajós, abrange os municípios de Aveiro, Belterra e Santarém, na perspectiva da questão indígena. Nesse recorte geográfico habitam atualmente 13 povos, a saber: Apiaka, Arapiun, Arara Vermelha, Borari, Kara-Preta, Jaraki, Kumaruara, Munduruku, Maytapú, Tapajó, Tapuia, Tupinambá e Tupaiú.

Em 2016 aconteceu a primeira edição do MUKAMEẼSAWA TAPAJOWARA KITIWARA (MUTAK) (Mostra de arte indígena do Tapajós) um momento de vivência, intercâmbio intercultural e troca de saberes, fortalecimento e valorização da cultura milenar dos povos indígenas na região do Tapajós. A primeira versão congregou aproximadamente 2000 pessoas durante três dias.

Este ano o evento ocorrerá nos dias 19 à 22 de abri na praça do CAT em Alter do Chão, onde indígenas dos treze povos da região do Baixo Tapajós estarão reunidos com uma variedade de artes trazidas de suas aldeias, assim como os teçumes, biojóias, cerâmicas, cestarias, indumentárias, plantas medicinais, curas e a culinária baseada nos derivados naturais.

O Mutak é a maior expressão ligada ao manifesto cultural dos indígenas da região através da arte, culinária, música e dança. Durante o dia haverá oficinas, venda e exposição de produtos, projeções de fotografias e vídeos e, os artistas e indígenas locais marcaram o palco com animação nas três noites de evento. Considerando sua importância, a Mostra Indígena do Tapajós tem sido uma forma de interiorização da cultura indígena levada para maior parte da população.

Este evento é realizado pelo Coletivo de Mulheres Indígenas Suraras do Tapajós, com apoio de grandes parcerias como PI PRODUÇÕES, RÁDIO RURAL-PROGRAMA DO XIBÉ, AREIA BRANCA ECOTURISMO, UFOPA, PSA-PROJETO SAÚDE ALEGRIA, VILA VIVA, RÁDIO PRINCESA, EKILIBRE, SECRETARIA DE CULTURA DE STM, SECRETARIA DE TURISMO DE STM e ONG FASE.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *