Por Raquel Tupi

O que é o Grito dos Excluídos?

O Grito é uma marcha popular onde “botamos a boca no trombone”, literalmente, a fim de visibilizar as nossas realidades locais.  Expressamos por meio de faixas, cartazes, batuques, animação, tudo com muita organização para defender nossas causas, ocupar nossos espaços e direitos, na perspectiva de construir uma sociedade mais justa e igualitária.

Esta é a 24° edição com o tema – Vida em primeiro lugar: Desigualdade social gera violência – Basta de Privilégios. O Grito ocorre, simultaneamente, em vários lugares do Brasil, e há 10 anos em Santarém.

O Grito não tem um “dono”, não é da Igreja, do Sindicato, da Pastoral; não se caracteriza por discursos de lideranças, nem pela centralização dos seus atos, é de todos, pois cada um sabe dos seus desconfortos nessa sociedade que discrimina os menos favorecidos.

Porque você moradora(o) de Alter do Chão e demais proximidades está sendo convidada(o) e sua presença é muito importante?

Por que ninguém melhor que nós, moradores de Alter do Chão, para falar dos problemas que vivenciadas diariamente em Alter do Chão e seu entorno.  Vamos nos unir contra tudo que ameaça nossa qualidade de vida.

Precisamos mostrar que não queremos esse turismo que só destrói. Queremos um plano de turismo voltado ao turismo consciente. Pois Alter do Chão não é só praias, aqui moram pessoas. Por isso é muito importante que os grupos organizados de Alter do Chão estejam juntos! 

Vamos dizer: NÃO DEIXE SEU LIXO NA PRAIA. LEVE ATÉ UM LOCAL ADEQUADO.

  • Somos contra: Poluição e degradação ambiental de alter do chão e todo seu entorno. Além das
  • Precisamos de qualidade na:  segurança e tranquilidade da vila, saúde, educação, serviço de transporte público, área de infraestrutura de qualidade para esporte e lazer para crianças, jovens e idosos.
  • Denunciamos: especulação imobiliária desenfreada, poluição e contaminação por falta de saneamento básico.
  • Defendemos: Preservação Ambiental de nossas praias, matas ciliares, fauna, flora, rios e igarapés, demarcação da terra indígena Borari.

Quem são os movimentos sociais e ambientais que estão apoiando “O Grito”?

STTR, UES, UFOPA, PASTORAIS SOCIAIS:CPT/ CPP, MULHERES DE SANTARÉM, COLETIVO SURARAS DO TAPAJÓS, MOVIMENTO DIREITO À MORADIA: OCUPAÇÃO BELA VISTA DO JUÁ E DA VIGÍA, MOVIMENTO INDÍGENA E QUILOMBOLA ENGAJAMUNDO E FASE.

Como chegar até o local de concentração? Haverá transporte disponível para levar e trazer de Alter do Chão, dia 5. Saída às 16h30min do terminal de ônibus da Vila.

Venha gritar seu desconforto social.

 

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *