Ali no Caranazal, no Espaço Agroecológico Caminho das Pedras (ao lado do Café Nativa, da dona Sueli), aconteceu no fim de semana o I Encontro Raiz com feira de alimentos produzidos por agricultoras de famílias rurais de Santarém e Belterra, sem o uso de agrotóxicos. O evento ainda teve música ao vivo, almoço, rodas de conversa sobre boas práticas, alimentação e saúde. A próxima feira já está marcada para dia 15 de dezembro. 

Foto de Cynthia Nigro

A disponibilidade de alimentos plantados e cultivados sem o uso de venenos é essencial para que mais pessoas possam ter uma dieta mais saudável e tenham interesse em comer frutas, verduras e legumes regionais e da estação, evitando o consumo de produtos superprocessados ou industrializados.

Foto de Aloyana Lemos

Hoje em dia, nas grandes cidades como São Paulo e Rio é fácil encontrar feiras agroecológicas. Mas onde encontrar esses alimentos mais saudáveis aqui em Alter? O problema é que fica complicado demais para um dono de supermercado ou minibox ir atrás dos produtores, também fica complicado para os produtores baterem de porta em porta de miniboxes.

Foto de Aloyana Lemos

Com esse desafio, a Kombi Raiz de Alter do Chão começou a oferecer a entrega de alimentos produzidos por agricultoras de famílias da região. Semanalmente, as meninas da Kombi vão aos sítios dessas agricultoras no planalto  santareno e Belterra para trazer suas produções para a vila. O projeto fortaleceu um grupo de consumidores aqui em Alter interessados em se alimentar de maneira mais saudável. Demanda gera oferta. Eis que surgiu o momento de promover um encontro para fortalecer a criação da primeira feira agroecológica na vila, estimulado pela própria Kombi Raiz.

Foto por Aloyana Lemos

As produtoras trouxeram frutas, legumes, verduras, ovos, mudas e até sementes para trocar! No I Encontro Raiz, a proposta de fortalecimento de uma feira agroecológica em Alter, colocando moradores e produtores em contato diretamente, ganhou asas para voar.

Foto por Aloyana Lemos

Durante as rodas de conversa à tarde, foi tratada a importância de consumidores e produtores encontrarem um caminho juntos para que a feira continue todos os meses.

Comer alimentos cultivados pertinho de casa tem inúmeras vantagens, mas vamos listar as dez mais óbvias:

  1. É mais fresco, com ingredientes mais saborosos e perfumados!
  2. É mais saudável, com ingredientes mais nutritivos e sem o uso de venenos que causam até câncer!
  3. É mais gostoso comer os produtos que a natureza oferece, em cada estação!
  4. É a melhor forma de valorizar a cultura alimentar regional!
  5. É a melhor forma de incentivar a continuidade da produção em harmonia com a biodiversidade da região, sem tentar plantar na Amazônia o que não é da Amazônia!
  6. Usa menos gasolina e polui menos pois gasta menos em transporte de produtos de outras regiões do país para cá!
  7. Exerce um importante papel na economia da sua região!
  8. Ajuda a proteger áreas rurais contra o desmatamento!
  9. Ajuda a restaurar a biodiversidade local ao mesmo tempo que trabalha pela preservação dos ecossistemas regionais!
  10. Mantém água e ar despoluídos pois sua forma de plantio visa uma sinergia com a natureza.
Foto por Aloyana Lemos

Além de produtos para colocar no prato, a feirinha abriu espaço para apresentação de produtos cosméticos naturais, com shampoos, sabonetes, óleos e perfumes feitos com o conhecimento local.

Foto por Aloyana Lemos
Foto de Aloyana Lemos

Moradores que vieram de outros países também usaram a oportunidade para apresentar molhos e patês que podem ser feitos com nossos ingredientes locais. Às vezes, um jeito diferente na mistura de ervas e frutas amazônicas pode revelar uma nova explosão de sabores que não conhecíamos! O guasacaca é conhecido como o “rei dos molhos” na Venezuela e pode ser um toque todo especial para servir com tortas, saladas, carnes, pão até para comer com tapioca.

Foto por Aloyana Lemos

A feira durou um dia inteiro, com muitos visitantes de Alter e de Santarém.

Aloyana Lemos, que deu início ao projeto Kombi Raiz, convida a todos para abraçarem a ideia e encontrem forças juntos para dar continuidade a essa iniciativa e apoiar as mulheres de famílias agricultoras da região. Que tenhamos pelo menos uma vez por mês uma feira assim, com o engajamento e carinho de todos: produtores, consumidores e, quem sabe, novos revendedores! 

 

Categories: Agroecologia

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *