Por Tábata Morelo

um processo de retomada. as retomadas são lutas
diárias. é entrar pela porta, reconhecer sua casa. a
chave não era a mesma, foi trocada. pé na porta.
deito na minha cama e me demoro nos móveis.
meus pés estão fincados na terra. e você, invasor,
puxa os lençóis. você toma minha palavra aos
berros. eu te escuto e escuto sua lei. você joga
papéis sem sentido. os papéis caem e meus pés
continuam. mesmo sem lençóis, sem minha palavra
(que está silenciada), sem papéis. você arranca
minhas roupas, meus colares, o que me enfeita, me
viola. me visto de luta. meus pés continuam. a
retomada é meu corpo presente ao seu despeito.
você não pode ignorar meu corpo na minha casa,
essa casa que me é tão familiar e que você
desconhece os seus caminhos. te convido para um
café e te digo que está tudo bem. que tudo bem
querer ser o síndico importuno. e te lembro que
paguei todas as contas, todos os condomínios,
muitas vezes a mais. que quitei dobrados. que meus
avós estão ausentes desse café por causa de suas
visitas de outrora.


Tags:
Categories: Certas palavras

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *