No fim de semana que passou (22 e 23 de junho), 10 jovens de baixa renda de 14 a 19 anos, moradores da comunidade do Caranazal e de Alter do Chão, participaram de uma imersão de arte e cultura.

Por Aloyana Lemos

Dicley nunca havia experimentado fazer tinta natural de barro, tapioca e água. Assim como ele, os outros jovens ficaram encantados com essa técnica que usaram para pintar um espaço bioconstruído. 

“Tudo o que eu queria fazer está no projeto CAJU. Eu espero que não acabe”

participante Dicley de 17 anos

A programação da imersão contou com teatro, circo, canoagem no igarapé do caranazal, produção de pizzas, cinema, oficina de bioconstrução, intervenção da Ana Costa (do Coletivo Jovem Tapajônico), palestra e oficina da Brigada de Incêndio de Alter do Chão, rodas de conversa, fora todas as alimentações e pernoite inclusas no espaço.

“Aqui nesta região simplesmente não tem nenhum centro de esportes, de cultura, que contemplem os jovens”

Manu Yael – coordenadora do projeto.

O projeto pretende promover oficinas diárias em parceria com as escolas, além de realizar vivências mensais com jovens. O objetivo é promover atividades conscientizadoras que possam ajudar os jovens em busca de soluções para os desafios locais.

“Estar em contato com a juventude da região Eixo Forte/Alter do Chão foi um momento muito único para mim. Eu acredito muito na juventude. Fico muito feliz quando vejo pessoas se doando para o presente e futuro da juventude”

Ana Costa do Coletivo Jovem Tapajônico

Os voluntários do projeto acreditam que empoderar a juventude de sua força e amor é cuidar do futuro de todos!

Idealizado pelo Instituto Aquífero Alter do Chão e realizada ainda sem recursos, esta primeira vivência contou com apoios de parceiros da região: Projeto Saúde e Alegria, Minicenter Mingote e Maloca Viva. Os facilitadores das palestras e oficinas foram todos voluntários: Dioclei, Dona Antônia, Gabriel, Manu Yael, João Romano, Daniel Gutierrez, Silvia Prado, Cabo Galuzio e Ana Abuelita.

Os dez jovens presentes tiveram a oportunidade de sugerir atividades que serão de muito bom grado nas próximas imersões. 

Todos os jovens ficaram empolgados com os aprendizados e confirmaram presença no próximo encontro, que ainda não tem data certa, mas que em breve será divulgado nas escolas e bairros da região.

A equipe de monitores do CAJU já planeja fazer intercâmbios e realizar futuramente imersões também em comunidades tradicionais da região.

“Este fim de semana foi um piloto. Apenas 10 jovens estiveram presentes e quase todos meninos. Eles adoraram! Com certeza nos próximos estaremos mais prontos para receber o dobro ou triplo de jovens, e esperamos que as meninas também cheguem junto. Faremos o possível para alcançá-las.”

Manu Yael – Coordenadora do Projeto

O Instituto Aquífero Alter do Chão é uma organização não governamental e sem fins lucrativos que acabou de nascer. Com a necessidade de uma organização para dar sustentação à Brigada de Incêndio de Alter do Chão, foi que 11 pessoas se uniram para a abertura do Instituto, neste inverno de 2019. O objetivo do IAA é principalmente de incentivar o cuidado com o meio ambiente, os integrantes enxergam a floresta em pé e as águas livres como os maiores bens da humanidade. Além do meio ambiente, o Instituto também está a disposição para apoiar a vila de Alter do Chão em diversas atividades que fortaleçam o bem-estar dos moradores.

Please follow and like us:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *