Se a gestão terceirizada não deu certo com a saúde, por que daria com o abastecimento de água?

Por Sara Pereira

É verdade que a COSANPA não deu conta de prestar o serviço de abastecimento de água a população santarena nesses mais de 30 anos de concessão. Assim como também é verdade que a terceirização, apresentada pela prefeitura como a solução mágica, não deu certo no caso da saúde. Basta ir à UPA ou ao Hospital Municipal para ver que os usuários não estão satisfeitos com os serviços prestados pela empresa terceirizada. Aliás, depois de tantas reclamações e denúncias do povo, a prefeitura de Santarém foi obrigada, por determinação judicial, a afastar a empresa terceirizada e reassumir a gestão da UPA e do HMS.

Além disso, a terceirização é a porta de entrada para a privatização. Mas, se privatizar o abastecimento de água, quem vai fiscalizar e controlar a gestão da empresa? Veja o caso da privatização do fornecimento de energia elétrica. Quando o consumidor recebe uma conta com valores exorbitantes (e no caso da Celpa esse exemplo tem sido constante) não tem a quem reclamar. Quando procura o PROCON o máximo que consegue é ter o valor da conta parcelado, mas é sempre obrigado a pagar, mesmo que considere o consumo abusivo. Por que no caso do abastecimento de água seria diferente?

Enquanto o Prefeito de Santarém quer privatizar o fornecimento de água, em outros países centenas de cidades reestatizaram o serviço.

“Em geral, observamos que as cidades estão voltando atrás porque constatam que as privatizações ou parcerias público-privadas (PPPs) acarretam tarifas muito altas, não cumprem promessas feitas inicialmente e operam com falta de transparência, entre uma série de problemas que vimos caso a caso”

Satoko à BBC Brasil

Os inúmeros exemplos nos mostram que a Terceirização ou Privatização não vão garantir água de qualidade nas torneiras do povo e por um preço justo.

Não podemos aceitar entrar em mais essa barca furada apresentada pelo Prefeito Nélio Aguiar. Vamos estudar outras possibilidades, encontrar outras alternativas que não venham penalizar mais ainda a população mais pobre. Água não é mercadoria para ser negociada. Água é um bem natural e um direito fundamental que deve ser assegurado a todas todas as pessoas, sobretudo a quem mora em cima do maior aquífero do mundo.

Please follow and like us:
Categories: Saneamento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *